Blog

Jejum intermitente: pode ser prejudicial para à saúde

Jejum Intermitente

Com a difusão do jejum intermitente, uma multidão de pessoas acabou levando esta estratégia alimentar para sua vida.

Por passar longas muitas horas sem comer, a dieta do jejum intermitente promete perda de peso rápida. Mas o que quero dizer aqui neste artigo é o que ele realmente pode causar para a sua saúde.

O que é o jejum intermitente?

O jejum intermitente nada mais é do que ficar várias horas sem ingerir nenhum tipo de alimento, que pode variar de 12 até 36 horas.

Ficar tantas horas sem comer certamente irá resultar em perda de peso, pois o organismo irá consumir as reservas para continuar funcionando.

Alguns praticantes afirmam que o jejum intermitente diminui riscos cardiovasculares, diminuição do colesterol, melhora da diabetes e combate a inflamações. Porem isso só foi comprovado em testes com ratos, o que pode não ser uma boa ideia seguir essa dieta, para garantir mais saúde para a sua vida.

 

O Jejum intermitente e as cólicas menstruais

Poucos se preocupam, porém, com o acompanhamento especializado. Sem ele, ao invés de desfrutar dos benefícios relatados, o jejum pode trazer prejuízos à saúde.

Atrasar ou não se alimentar pela manhã prejudica as funções uterinas, por interferir no relógio biológico. Há uma piora dos episódios de dismenorreia – cólicas menstruais – relacionada a pular o café da manhã.

Foram aplicados questionários de qualidade de vida e impacto do ciclo menstrual, em mulheres entre 18 e 35 anos, em estudo multicêntrico.

Dor no período menstrual foi vista com menor frequência e intensidade, quando se fazia a ingestão de alimentos nas primeiras horas do dia. Ainda nessas mulheres, foram menos prevalentes os relatos de constipação e diarreia.

Semelhantes à dor, são mais prevalentes os relatos de fluxo menstrual aumentado, avaliado pela percepção de cada mulher. Ainda, de forma objetiva, mulheres que tomavam café da manhã apresentavam período menstrual médio de 4,3 dias contra 5,5 dias daquelas que não o faziam.

Quanto ao histórico alimentar, sugere-se que mulheres que consomem mais fibras têm menos cólicas. Carne vermelha, leite e seus derivados e bebidas alcoólicas trouxeram impacto negativo ao ciclo menstrual.

 

Jejum intermitente, fazer ou não fazer?


O jejum intermitente tem diversos benefícios, porém precisa ser acompanhado por nutricionistas e nutrólogos, capazes de definir a estratégia da dieta a ser realizada.

Seguir o que é moda pode piorar sua qualidade de vida, pois cada pessoa tem uma necessidade, tem doenças relacionadas. Tudo precisa ser investigado e pensado em conjunto.

Procure sempre ajuda de um profissional especializado antes de qualquer mudança alimentar. Preservar a sua saúde é fundamenta, a perda de tempo é consequência. Agende uma consulta e tire suas dúvidas.

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

VEJA TAMBÉM